sexta-feira, 22 de maio de 2009

. em vez de um ponto, uma vírgula



tá frio hoje. parece que nem o sol quis me esquentar.
ele fugia de mim enquanto eu procurava o encontrar.
tá tudo tão diferente... a temperatura mudou.
meu termostato indica ao relógio que o tempo não parou.
você vai saber, você tá sabendo,
que eu tô me cansando e não vou perder meu tempo.

por outro lado, tento guardar as coisas boas que passamos juntos.
coisas pequenas, simples, mas que fazem parte do meu, do nosso mundo.

daquele beijo, encostados no carro. eu lembro...
lembro que a gente se divertia, sem se importar com o tempo.
sei que o passado não volta, sei dos erros cometidos e eu entendo.
de coisas que eu não disse, de vezes que não sorri, eu também lembro; e lamento.
a gente não ligava pro futuro, nem pra ninguém,
e talvez o que eu procure agora, sejam essas coisas que me faziam bem.
sem túnel do tempo, eu quero uma viagem ao futuro.
saudades de coisas que não aconteceram, saudades daquela rua, daquele muro...
lembro daquela chuva, daquelas brincadeiras.
lembro das risadas, dos abraços, das broncas que levei na quarta-feira.

eu tô confusa. não sei mais lidar com isso. aliás, acho que eu nunca soube.
também não sei se nos cabe tentar entender, ou se na verdade nunca nos coube.
enquanto isso o mundo vai girando, o tempo vai passando, a chuva vai caindo lá fora. será que você vem me buscar? é que eu preciso ir embora...

Nenhum comentário:

Postar um comentário