segunda-feira, 20 de julho de 2009

. cento e quarenta e um dias

hoje passei o dia inteiro em frente ao computador, lembrando, rindo de ontem, editando nossas fotos e, principalmente, editando meus pensamentos e minhas ideologias. é engraçado pensar que, há exatos cinco meses atrás, eu não acreditava em amor e nem nada do gênero. hoje, enquanto sorria aqui sozinha, percebi que o amor não era aquilo que eu pensava ser. percebi que, talvez, eu não precisasse temer tanto por algo, ainda que o mesmo fosse um tanto quanto oblíquo. coisas ocultas sempre me facinaram, mas às vezes me faltava coragem de tocá-las ou me aproximar delas. fico feliz em saber que venho progredindo, me alimentando de coragem e, mesmo que eu possa me arrepender depois, não ter medo de viver o hoje. gostar de fechar os olhos, sorrir, imaginar você sorrindo. me apaixonar cada vez mais pelo jeito que você me olha, pelo jeito que me abraça. decorar seus sorrisos, seus olhares, e mesmo assim ser supreendida com um beijo na testa - o de sempre, mas sempre diferente - . nunca acreditei em nada que se qualificasse eterno, mas você também tem mudado esse meu conceito. obrigada, amor. por esses cinco meses do seu lado :)

eu amo você

segunda-feira, 13 de julho de 2009

. descubra por conta própria

eu ouço músicas antigas, leio livros que me agradam, conto histórias engraçadas mas que nem sempre eu acho graça. rio das suas piadas, por piores que sejam, esqueço o nome da maioria das coisas, gosto de olhar o céu, o azul dele me distrai, lembro de coisas que com certeza você já se esqueceu e as que eu escrevo são completamente sinceras, apesar de muitas vezes tão simples. pinto com cores que você não sabia existir, prefiro comer a sobremesa antes, nomeio coisas e lugares distantes e tenho sempre algo em que me corrigir. gosto de sonhar, mas nunca tiro os pés do chão, o óbvio não me atrai, sempre enxergo através dele. coisas surreais e impossíveis costumam me atrair tanto quanto o que os outros julgam ser imprestável. realmente detesto rotinas e, acho deveras cansativo ter de segui-las. não me importo em ter que discordar de algo ou alguém e, até prefiro que discordem de mim em alguma coisa. alienação não está com nada, e tenho dito. fato que nem sempre estou certa, mas gosto de expressar minha opinião sempre que possível.

talvez minha paixão pela lua se dê por questão de identificação; mesmo contra minha vontade, acabo sendo um pouco de fases. não tente entender, apenas sorria, como sempre faço (:

sexta-feira, 3 de julho de 2009

. uma gota, de um oceano


senti uma gota fria de chuva na ponta do meu nariz. aquilo me fez lembrar, me fez sentir um contraste do seu beijo quentinho na ponta dele. eu sorri, embora que sozinha, lembrando seu abraço, seu jeito de olhar pra mim. bateu saudade... a chuva continuava caindo e eu olhando para o nada, pensando em tudo.
aula de matemática, álgebra, funções. aquela janela nunca havia me parecido tão interessante. nunca entendi a minha aversão por números. mas impressionantemente eu me interessara pela lógica do eu+você. acho que era a única coisa que fazia sentido naquela sala pra mim. incrível como uma gota de chuva me fizera viajar tanto. aliás, já está parando de chover, o sinal já está pra bater e eu aqui, escrevendo coisas que você nem vai chegar a ler. mas tá tudo bem. fico feliz em pelo menos ter algo pra escrever para - ou sobre - você :)